Textos


Tristeza
Edir Pina de Barros
 
Nesses dias sem sol, quando a tristeza
com véus de nuvens densas tudo enlaça,
e a vida perde todo o encanto e graça,
a frágil alma fica à morte presa;
 
difícil se manter a paz, leveza,
enquanto o sonho, aos poucos, se esfumaça,
enquanto a dor escorre na vidraça,
e forma, dentro o peito, uma represa.
 
Dias noturnos! Dias de tristeza!
Mas tudo há de passar e, com certeza,
o sol há de tirar da face o véu.
 
Porque sem sol  não há nem simbioses
que a luz provoca, nem metamorfoses
que possam transmudar o sal em mel.
Edir Pina de Barros (Flor do Cerrado)
Enviado por Edir Pina de Barros (Flor do Cerrado) em 27/04/2017

Música: Alameda das Acácias - Violinos de SP

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários