Textos


Sobre a dor

A dor que me corrói e me entedia,

Provém do teu olhar, que é pura neve
Que cai em meu viver e nele inscreve,
Um verso sem amor, sem poesia.
 
Por mais que busque paz, sinto a agonia
De esse viver sem sol, que não se atreve
Romper o breu do véu, que é  frágil e leve
Para voltar a crer no que se cria.
 
A dor que assim me dói e me esviscera
é ver morrer o amor que se declina
sem ter a luz solar, sem ter quimera.
 
Eu sei que  tudo passa – a vida ensina  –
Que o amor em si se esvai, mas não se espera
que morra sem morrer, gele a retina.
 
Edir Pina de Barros (Flor do Cerrado)
Enviado por Edir Pina de Barros (Flor do Cerrado) em 31/05/2020
Alterado em 31/05/2020
Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários