Textos


Resiliência
 
No meu cerrado em flor, depois de intenso estio,
Caliandra ( a ciganinha), ipê, colestenia,
Retratos da beleza, em tons de poesia,
Após tanta queimada e a vida por um fio.
 
No meio da campina, o murmurante rio,
Cardumes na flor d’água em plena luz do dia,
(A mais pura expressão da força da alegria)
A natureza em festa, a terra em novo cio.
 
Na regeneração, o viço da esperança,
 - Em cada eflorescência, em cada nova rama -
De um tempo bem melhor, de paz e de bonança.
 
Uma lição de vida em cada panorama
Dos ciclos do cerrado – a nossa grande herança –
A força, a resistência em meio a tanto drama.
 

Edir Pina de Barros
Edir Pina de Barros (Flor do Cerrado)
Enviado por Edir Pina de Barros (Flor do Cerrado) em 26/05/2020
Alterado em 02/06/2020
Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários