Textos


Ciclos (21)
 
 
Não faz mal que demores! Eu te espero,
enquanto não me vens renascem flores,
as relvas recuperam seus  verdores,
viceja o meu amor que é puro e vero.
 
Espero. E nada sinto  - mágoas, dores –
porque te quero tanto e assim te quero,
de um modo tão profundo e tão sincero,
que estou sempre ao teu lado aonde fores.
 
O dia espera a noite ir-se embora,
 o sol, a chuva que soluça e chora,
e a noite cede ao dia o seu lugar.
 
O tempo também tem seus atributos,
e amadurece, sempre, os verdes frutos,
que os pássaros, famintos, vêm bicar.

 
Edir Pina de Barros (Flor do Cerrado)
Enviado por Edir Pina de Barros (Flor do Cerrado) em 11/05/2020
Alterado em 11/05/2020
Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários