Textos


Íntimo inquilino
Edir Pina de Barros

Quando me vens assim cheirando a mato
saindo desse rio d’água pura
que forma em tua pele uma textura
do belo, que parece em ti inato.

E tu me fitas no momento exato
no qual o meu olhar por ti procura,
liberto-me do pejo e da censura
a confessar o quanto te idolatro.

As gotas d´água sobre a tua tez
brilhando, quando bate o sol a pino,
aumentam tanto minha insensatez

que no teu corpo andejo e peregrino
bebendo cada gota de uma vez
como se eu fora íntimo inquilino.

Lira insana, 2016: pg. 66
Edir Pina de Barros (Flor do Cerrado)
Enviado por Edir Pina de Barros (Flor do Cerrado) em 23/02/2016
Alterado em 20/10/2016
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários