Textos


Sobre a dor
Edir Pina de Barros

Eu conheci, da dor, trevoso inferno,
profundas fendas,  vãos e precipícios,
o breu que encobre o início dos inícios,
escuras furnas onde agora hiberno.
 
Eu dissequei a dor, que aqui externo,
cheguei ao osso, vi seus orifícios,
da íntima estrutura os interstícios,
o avesso do suplício – o lado interno.
 
Quando pensava que sabia tudo,
- sua estrutura, forma e conteúdo –
ela se riu de mim... Quanta impiedade!
 
A dor é Outra – a que sozinha trilho  –
quando se perde para a morte um filho,
presença ausente em forma de saudade.
Edir Pina de Barros (Flor do Cerrado)
Enviado por Edir Pina de Barros (Flor do Cerrado) em 23/10/2017

Música: Oasis - Andre Gagnon

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários