Textos


Transformei o soneto em versos brancos nesse que abaixo segue. Confesso que gosto mais de soneto clássico.

Saudade
Edir Pina de Barros

Se todo amor transmuta-se em saudade
de tudo o que se foi ou se desfez
por tanta e tão palpável liquidez
do tempo que retorna e nos invade.

E se a saudade chega-nos de vez
com tanta força, tanta majestade
- ainda que tal fato nos agrade -
é sombra que perdeu a nitidez.

Precipitado íntimo do encanto
que em si se evola e logo se enraíza
nos sertões d’alma. E cresce e ganha vida.

Isso é saudade, que em meus versos canto,
quimérica, incorpórea, sem divisa, 
miragem que a lembrança consolida.
Edir Pina de Barros (Flor do Cerrado)
Enviado por Edir Pina de Barros (Flor do Cerrado) em 25/04/2017

Música: The Old Castle - André Rieu Orq.

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários