Textos


Brumas
Edir Pina de Barros
 
Onde a esperança que nos leva ao sonho,
ao reino da alegria, das quimeras?
Hoje se tem o tempo das esperas
(um tempo longo e triste, assim suponho).
 
Onde o horizonte? A bruma está cerrada,
adiante breu e breu, nuvens sombrias
e deletérias, langorosos dias...
E nada mais se vê além do nada.
 
Onde anda a lua cheia de esperança?
Onde? Que não se vê? Que não se alcança?
Decerto se perdeu atrás das brumas.
 
E como não sonhar com as estrelas?
Por certo, mais além, iremos vê-las,
se não constelações, quem sabe algumas.
 
Edir Pina de Barros (Flor do Cerrado)
Enviado por Edir Pina de Barros (Flor do Cerrado) em 24/04/2017
Alterado em 24/04/2017

Música: Beethoven - Sonata 14 )Moonlight), Opus 27/2 - Bernd Krueger

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários