Áudios

Fênix
Data: 17/04/2017
Créditos:
Créditos:
Texto: Fênix
Autora: Edir Pina de Barros
Declamação: Ariadne Cavalcante
Música: Resurrección del Ángel
Compositor: Astor Piazzolla
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Fênix
Edir Pina de Barros

 
Eu sou erva daninha renascida
nas gretas do cimento e dos rochedos,
pois ruminei a dor, bebi meus medos,
lambi o próprio sangue da ferida.

Eu me encontrei depois de andar perdida,
e padeci meus íntimos degredos
busquei-me entre meus vultos, arremedos,
(tornei-me pedra que ninguém lapida),

Eu aprendi a renascer do nada
depois de andar tão só, desesperada
um seixo entre seixos, uma pedra.

Porque sangrei na ponta de uma adaga
tornei-me bem mais forte do que praga,
renasço sempre onde o nada medra

Facebook, 05 de Março de 2015.

Sonetos selecionados, pg. 15
Enviado por Edir Pina de Barros (Flor do Cerrado) em 06/03/2015

Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Comentários